Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Vida

Passeio verde: Natal em Cabeça, a aldeia mais ecológica do país

  • 333

Divulgacao

Já não são só os cerca de 170 habitantes da aldeia de Cabeça a apostar na sustentabilidade da festa de Natal na aldeia. Na edição deste ano, para a celebração natalícia mais ecológica do país, também os visitantes são convidados a participar do espírito “zero desperdício”. Por exemplo, para chegar a esta pitoresca aldeia do concelho de Seia, em plena Serra da Estrela, onde predomina o casario em xisto, apela-se ao menor número de carros possível num convite à partilha de viatura.

O respeito pelo meio ambiente dá o mote a esta celebração genuína e verde, preocupada com a sustentabilidade. Uma questão que ganha ainda mais destaque nesta que é a época do ano em que mais desperdício existe: seja no que respeita aos enfeites de Natal ou às embalagens e embrulhos.

Em Cabeça, Aldeia Natal, este é um tempo de abrir o coração e pôr a mente a funcionar para, com muita criatividade e imaginação, transformar o que a terra dá e os resíduos da floresta em enfeites dignos da época: a decoração de Natal é feita exclusivamente a partir de materiais naturais, em grande maioria resultantes de limpezas e desbastes florestais.

A par, a festa - que vai já na sua sexta edição - tem ainda outra importante componente natalícia: a comunidade. Cabe a cada um dos 170 habitantes da aldeia a concepção de cada um dos detalhes da celebração que se estende até dia 6 de janeiro. A comunidade da Cabeça tem usado técnicas de ecodesign para decorar a aldeia, reaproveitando materiais florestais, produtos agrícolas tradicionais e outros desperdícios provenientes da indústria têxtil, nomeadamente a lã da Serra da Estrela. O espaço público e as fachadas são iluminados com recurso a tecnologia LED.

Descobrir um Natal verdadeiro e genuíno inspirado no que de melhor a Montanha tem: as pessoas e a natureza, é o convite de “Cabeça, Aldeia Natal”. Seja passeando pelas ruas, seja no Mercado de Natal, nos Presépios, na Casa do Pastor, na Casa do Chocolate, nas oficinas de cozinha, passeios temáticos pela Aldeia ou na oficina de Natal, local onde pode comprar o pinheiro e outras decorações de Natal criados pelos habitantes da aldeia, elogia-se um espírito de Natal sustentável.

O que fazer:
Longe da confusão das grandes superfícies, num ambiente tranquilo, o Mercado de Natal da aldeia funciona, todos os dias, entre as 14h00 e as 20h00. A iluminação de Cabeça é ligada todos os dias às 17h00. Nos dias 16, 23 e 31 de dezembro e 1, 5 e 6 de janeiro, pelas 15h00, há um presépio vivo e, no dia 22 pelas 14h15, acontece uma das ações que mais refeletem o espírito da iniciativa: uma ação de reflorestação.
O programa de Cabeça Aldeia Natal oferece ainda um conjunto variado de atividades de animação: concertos, exibição de documentários e passeios. Mas há mais. Na noite de Consoada, cumpre-se a tradição da Fogueira de Natal, a partir das 18h30, e, no dia 31, há festa de Passagem de Ano Tradicional na Aldeia com início agendado para as 22h30.

Aqui também pode aprender a cozinhar como antigamente, pelo menos alguns ingredientes: Entre as oficinas gastronómicas previstas está a que ensina a fazer pão no forno comunitário da aldeia (dias 16 e 23), queijo Serra da Estrela (dia 28) ou sonhos de Ano Novo (dia 29, com o chefe António Batista).
Posto de Turismo de Seia. Tel. 238317762

Museu do Pão
Transversal a muitas culturas, no Museu do Pão traça-se a história, em diversos capítulos e ao longo de quatro salas expositivas, das várias vertentes do pão português: "O Ciclo do Pão"; "O Pão Político, Social e Religioso", "A Arte do Pão" e a "Ala Temática e Pedagógica - O Mundo Fantástico do Pão". Aberto de terça a domingo, entre as 10h00 e as 18h00, o bilhete para o Museu do Pão custa €5 para adultos; €3 para crianças.
Quinta Fonte do Marrão, Seia. Tel. 238310760

Museu Natural da Eletricidade
Está instalado a 800 m de altitude, nas margens do rio Alva, este Museu Natural da Electricidade que ocupa uma das mais antigas centrais hidroeléctricas de Portugal, a Central da Senhora do Desterro. A primeira central do Aproveitamento Hidroeléctrico da Serra da Estrela, inaugurada a 26 de Dezembro de 1909, marcou o início de actividade da Empresa Hidroeléctrica da Serra da Estrela (EHESE) e permitiu que, nessa data, a energia eléctrica chegasse a Seia pela primeira vez.
Senhora do Desterro, São Romão, Seia. Tel. 238316276

Onde dormir:
Villa Travancinha

A casa recuperada é o materializar de um sonho de um casal que preferiu deixar a confusão da cidade e rumar ao campo. Com eles foi a paixão pelos livros, percetível quando se escolhe um quarto e se descobre que os nomes são O Principezinho, O Velho e o Mar ou a inesquecível Volta ao Mundo em 80 Dias. Não espanta, por isso, que a sala de estar da Villa Travancina seja a zona mais procurada, precisamente para ter um livro como companhia. Quarto duplo desde €70.
Rua da Borceda, 1, Travancinha. Tel. 934201207

Chão do Rio
Há seis casas, pensadas para famílias ou uma aventura romântica a dois. Muito perto da serra da Estrela, há na propriedade atributos suficientes para que não se queira de lá sair, uma vez que mesmo no centro há uma piscina biológica, perfeita nos dias quentes. Ao todo, o Chão do Rio é constituído por cinco casas (T1 e T2), todas construídas com materiais da região, como a típica cobertura de palha que apresentam. Aproveite os alpendres para momentos de descanso. Casas desde €100.
Rua da Calçada Romana, Travancinha. Tel. 919523269

Onde Comer:
Camelo

A comida regional preserva os sabores de outros tempos à mesa desta casa com portas abertas desde 1935. Na ementa do Camelo destacam-se os enchidos caseiros, para iniciar a refeição. O clássico bacalhau com broa, o cabrito à serrana e a feijoada da Beira continuam a reunir consensos entre quem escolhe este restaurante. Prove a doçaria conventual. Preço médio: €15
Eurosol Seia Camelo, Avenida 1º de maio, 16, Seia. Tel. 238310100

Margarida I
Partir de Seia em direção à Serra da Estrela e não parar no Margarida I na Senhora do Desterro para reconfortar a alma com a melhor e mais genuína comida beirã é perder uma grande experiência gastronómica. No edifício que em tempos serviu de forno comunitário mantém-se presente o receituário que se segue na cozinha, todo ele fiel aos sabores ancestrais da região. Caso disso, o bacalhau com amêndoa, o frango com castanhas, a canja de galinha e o cabrito assado (por encomenda). Atenção aos enchidos de entrada, capazes de roubar o apetite para o resto. Preço médio: €15
Senhora do Desterro, Seia. Tel. 238321136

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!